O que é uma “Cidade de 15 minutos”

o-que-e-uma-cidade-de-15-minutos

A visão de uma “cidade de 15 minutos” ​​imagina lugares onde os moradores possam realmente viver localmente, com tudo o que precisam a uma curta caminhada ou passeio de bicicleta.

O conceito de “Cidade de 15 minutos”

A princípio, o conceito de cidade de 15 minutos funciona inicialmente como uma ideia, descrevendo as cidades que gostaríamos de ter, não as cidades em que a maioria de nós realmente vive.

Mas devemos encontrar uma maneira de tornar a cidade de 15 minutos mais do que apenas um conceito nebuloso ou uma meta idealizada inalcançável.

Fazer progressos concretos em direção a essa ideia melhorará de forma mensurável a vida de muitas pessoas, não apenas das que vivem atualmente nas cidades, mas das centenas de pessoas que migrarão para as cidades nas próximas décadas. 

Cidades tão diferentes como Paris, Melbourne, Barcelona, Portland e Oregon estão trabalhando para reimaginar suas cidades usando as lentes do tempo de viagem a pé, bem como, de bicicleta.

Ao mesmo tempo, muitas outras cidades tem metas para aumentar a caminhada e o ciclismo para melhorar a vida urbana e reduzir a poluição.

Por fim, o cientista Carlos Moreno, criou esse conceito baseado em um sistema de reorganização urbana, imaginando um projeto no qual os moradores acessaria tudo o que precisam a apenas 15 minutos de distância a pé ou de bicicleta.

Confira a palestra do autor:

Carlos Moreno – Diretor científico, Panthéon Sorbonne University-IAE Paris

A estrutura

A estrutura da cidade de 15 minutos é excelente para um plano urbano de longo prazo.

Porém a implementação efetiva – o trabalho difícil, mas gratificante de transformar nossas cidades e bairros – é o que realmente importa.

Para que as áreas urbanas alcancem seu potencial máximo, os esforços da cidade de 15 minutos devem ser amplos, ambiciosos e eficazes.

Nesse sentido, os seguintes elementos são essenciais:

  • Amplo envolvimento e aceitação do público: diversas comunidades devem estar envolvidas no desenvolvimento e implementação de programas municipais de 15 minutos;
  • Medição e análise detalhada: Devemos definir e quantificar quem tem acesso a quê e onde. A medição deve ser contínua, considerando as melhorias na proximidade e no acesso ao longo do tempo.
  • Envolvendo todos os tipos de atores: Este não é um projeto apenas para planejadores urbanos ou agências governamentais. Muitas organizações e grupos de pessoas precisam envolver-se, principalmente o governo, líderes de bairro, ONG’s, empresários, investidores, organizações empresariais e acadêmicos.
  • Custo-benefício: a cidade de 15 minutos representa uma meta ambiciosa e os esforços mais bem-sucedidos farão uso máximo de estratégias gratuitas ou baratas, como requisitos de zoneamento flexíveis e reutilização criativa do espaço existente nas ruas.

O que tem em uma cidade de 15 minutos?

Uma cidade de 15 minutos apresenta quatro características principais:

  • Proximidade : tudo deve estar próximo;
  • Diversidade : os usos do solo devem ser mistos para fornecer uma ampla variedade de amenidades urbanas nas proximidades;
  • Densidade : deve haver pessoas suficientes para apoiar uma diversidade de empresas em uma área de terra compacta;
  • Ubiquidade : esses bairros devem ser tão comuns que estejam disponíveis e acessíveis para qualquer pessoa que queira morar neles.

Visando esses pontos, aplica-se uma urbanização baseada nesse conceito, com o plano da cidade envolvendo certos elementos, como por exemplo:

  • Shopping centers e serviços de saúde locais;
  • Escolas locais, universidades e centros de estudos;
  • Parques, playgrounds, áreas verdes, jardins comunitários e áreas esportivas;
  • Ruas com espaços seguros e com acessibilidade, opções de moradia a preços acessíveis e diversidade habitacional;
  • Mobilidade, ciclovias seguras e transporte público;
  • Oportunidade de trabalho local, bem como uma ótima conexão de transporte público para outras áreas.

A popularização desse conceito

A pandemia da Covid-19 forçou milhões de pessoas a passar mais tempo em suas comunidades e muitas delas começaram a ver isso com outros olhos.

Libertos da rotina diária de ida e volta para o trabalho, as pessoas aproveitam as oportunidades de recreação, exercícios, interação e colaboração oferecidas pelo trabalho em casa.

Possivelmente, esse senso de comunidade recém-descoberto pode precipitar uma revolução no planejamento urbano que prioriza uma abordagem descentralizada.

O conceito de cidade de 15 minutos pode ser uma opção para essa mudança.

Afinal, ela se concentra em transformar as cidades e seus subúrbios em redes de vilas urbanas onde tudo que é importante está a apenas 15 minutos a pé ou de bicicleta.

O transporte está em sua essência, pois os princípios fundamentais contam com viagens ativas e bons transportes públicos para dar aos residentes acesso a todas as comodidades essenciais sem fazer longas viagens de carro.

Em vez de sugar trabalhadores, compradores e estudantes para os centros congestionados da cidade, a abordagem de 15 minutos devolve a provisão das necessidades do dia-a-dia para um bairro.

Dessa forma, ninguém mais precisará viajar mais de 15 minutos para ganhar a vida, comprar comida, ver um médico e educar seus filhos.

Criando essas ‘comunidades completas’, reduzimos o uso de automóveis e, com isso, a necessidade de espaço para carros particulares, deixando mais espaço para humanos.

Precedência histórica

A princípio a ideia parece nova, mas pense na Idade Média onde as aldeias eram em volta da figura imponente de um castelo. 

Avançando algumas centenas de anos, encontramos as “cidades da empresa”, onde todos os habitantes trabalhando para a siderúrgica ou a empresa de mineração tinham todas as necessidades encontradas naquela cidade, operários da fábrica trabalhando, fazendo compras, brincando e rezando em uma área com um diâmetro de não mais de um quilômetro .

As pequenas cidades rurais também apresentam essas características, com famílias cuidando umas das outras, tudo o que precisam a uma curta distância, comunidades unidas conectadas por necessidade.

E é isso que faz com que essa ideia seja considerada hoje, mesmo que essa “nova ideia” tenha na verdade séculos.

A importância da aerofotogrametria na cidade de 15 minutos

Os planejadores e defensores do modelo de “cidade de 15 minutos” já estão trabalhando antecipadamente para coletar dados geoespaciais em nível municipal.

Os dados obtidos com o levantamento aerofotogramétrico são usados ​​para criar mapas que mostram aos residentes quais amenidades eles têm em um raio de 15 minutos e quais serviços podem estar fora dessa zona.

Dessa forma, podemos ver se há lotes vazios que podem ser transformados em espaços comunitários, se os parques podem ser expandidos para áreas antes designadas para estacionamentos e se há edifícios vazios que podem ser adaptados de forma flexível para atender às necessidades da vizinhança de forma imediata.

• BASE Aerofotogrametria •
Telefone: +55 11 2948-9900
E-mail: info@baseaerofoto.com.br
LinkedIn | Instagram |  Facebook

Leia também

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.