O que é o Sistema de Informação Geográfica – SIG

o-que-e-o-sistema-de-informacao-geografica-sig

O Sistema de Informação Geográfica (SIG) corresponde às ferramentas computacionais de geoprocessamento, que realizam análises complexas ao integrar dados diversos e criar bancos de dados georreferenciados.

O termo é oriundo do inglês Geographic Information System – GIS.

O que é o Sistema de Informação Geográfica

A princípio, um Sistema de Informação Geográfica captura, armazena, analisa, gerencia e apresenta dados vinculados à localização.

Tecnicamente, o SIG inclui um software de mapeamento e sua aplicação com sensoriamento remoto, levantamento topográfico, fotografia aérea, matemática, fotogrametria, geografia, assim como, outras ferramentas.

No sentido mais estrito, o termo descreve qualquer sistema de informação que integra, armazena, edita, analisa, compartilha e exibe informações geográficas.

Em um sentido mais genérico, são ferramentas que permite criar consultas interativas, analisar informações espaciais, editar dados, mapas e apresentar resultados de todas essas operações.

Ao relacionar dados aparentemente não relacionados, o SIG pode ajudar indivíduos e organizações a compreender melhor os padrões e relações espaciais.

O SIG pode usar qualquer informação que inclua localização. A localização pode ser expressa de muitas maneiras diferentes, como latitude e longitude, endereço ou código postal.

O SIG pode incluir dados sobre pessoas, como população, renda ou nível de educação.

Pode incluir informações sobre a paisagem, como a localização de riachos, diferentes tipos de vegetação e diferentes tipos de solo, bem como, pode incluir informações sobre os locais de fábricas, fazendas e escolas ou bueiros, estradas e linhas de energia elétrica.

A história do SIG

Nas últimas cinco décadas, o Sistema de informação Geográfica evoluiu de um conceito para uma ciência.

A evolução do SIG de uma ferramenta rudimentar para uma plataforma moderna, que compreende e planeja nosso mundo, apresenta marcos importantes.

O campo do SIG começou na década de 1960, com o surgimento dos computadores e dos primeiros conceitos de geografia quantitativa e computacional.

Primeiramente, os trabalhos de SIG incluíram pesquisas importantes da comunidade acadêmica. Posteriormente, formalizou-se essas pesquisas sobre os principais tópicos da ciência da informação geográfica, como análise espacial e visualização.

Acima de tudo, esses esforços alimentaram uma revolução quantitativa no mundo da ciência geográfica e estabeleceram as bases para o SIG.

O primeiro SIG

O trabalho pioneiro de Roger Tomlinson para iniciar, planejar e desenvolver o Sistema de Informação Geográfica do Canadá resultou no primeiro SIG computadorizado do mundo em 1963.

O governo canadense encarregou Tomlinson de criar um inventário gerenciável de seus recursos naturais. Ele imaginou usar computadores para mesclar dados de recursos naturais de todas as províncias.

Dessa forma, Tomlinson criou o projeto de computação automatizada para armazenar e processar grandes quantidades de dados, o que permitiu ao Canadá iniciar seu programa nacional de gestão do uso da terra. Ele também deu o nome ao SIG.

O começo da evolução

Enquanto estava na Northwestern University em 1964, Howard Fisher criou um dos primeiros programas de software de mapeamento por computador conhecido como SYMAP.

Em 1965, ele fundou o Harvard Laboratory for Computer Graphics. Embora alguns dos primeiros softwares de mapeamento de computador tenham sido criados no laboratório, ele também se tornou um centro de pesquisa para análise e visualização espacial.

Assim, muitos dos primeiros conceitos para SIG e suas aplicações foram concebidos no laboratório por geógrafos, planejadores, cientistas da computação e outros de várias áreas.

O uso prático do Sistema de Informação Geográfica


Atualmente, empresas em diversos campos estão usando o SIG para fazer mapas que comunicam, realizam análises, compartilham informações e resolvem problemas complexos em todo o mundo.

A tecnologia pode ser usada para investigações científicas, gerenciamento de recursos, gerenciamento de ativos, arqueologia, avaliação de impacto ambiental, planejamento urbano, cartografia , criminologia, história geográfica, marketing, logística, mapeamento prospectivo e outros fins.

Muitas empresas de varejo usam para ajudá-los a determinar onde localizar uma nova loja, assim como, as empresas de marketing usam para decidir a quem comercializar lojas e restaurantes, e onde esse marketing deve estar.  

Os cientistas usam o SIG para comparar estatísticas populacionais a recursos como água potável, sob o mesmo ponto de vista os biólogos usam o sistema para rastrear os padrões de migração dos animais. 

Autoridades municipais, estaduais ou federais usam o GIS para ajudar a planejar sua resposta no caso de um desastre natural  como um terremoto ou furacão. Os mapas podem mostrar quais bairros correm mais perigo, onde localizar abrigos de emergência e quais rotas as pessoas devem seguir.   

Os engenheiros usam o SIG para apoiar o projeto, implementação e gerenciamento de redes de comunicação para os telefones que usamos, bem como a infraestrutura necessária para a conectividade com a Internet. Podemos usar o SIG para desenvolver redes rodoviárias e infraestrutura de transporte.

Não há limite para o tipo de informação que pode ser analisada usando o Sistema de Informação Geográfica.

Vejamos então mais alguns exemplos do uso prático do SIG:

  • Monitoramento de mudanças geográficas;
  • Planejamento territorial;
  • Controle do meio ambiente;
  • Identificação de problemas;
  • Gerenciar e responder a eventos climáticos;
  • Estabelecer prioridades com base na análise espacial;
  • Entender tendências comportamentais.

Análise Espacial

A análise espacial é um processo no qual você modela problemas geograficamente, obtém resultados por processamento de computador e, em seguida, explora e examina esses resultados.

Esse tipo de análise tem se mostrado ainda mais eficaz para avaliar a adequação geográfica de determinados locais para fins específicos, estimar e prever resultados, interpretar e compreender mudanças, detectar padrões importantes ocultos em suas informações, entre outros.

Vários fluxos de trabalho fundamentais formam o coração da análise espacial: exploração de dados espaciais, modelagem com ferramentas SIG e solução de problemas espaciais.

Em síntese, o objetivo é aprender como resolver problemas espacialmente

O futuro do Sistema de Informação Geográfica

Com a mudança para web, computação em nuvem e integração com informações em tempo real, o SIG se tornou uma plataforma relevante para quase todos os empreendimentos humanos.

À medida que nosso mundo enfrenta problemas de expansão populacional, perda de natureza e poluição, o SIG desempenhará um papel cada vez mais importante, sobretudo em como entendemos e tratamos dessas questões e fornecemos um meio de comunicar soluções usando a linguagem comum de mapeamento.

Conheça as soluções e serviços oferecidos pela Base Aerofotogrametria .

• BASE Aerofotogrametria •
Telefone: +55 11 2948-9900
E-mail: info@baseaerofoto.com.br
LinkedIn | Instagram |  Facebook

Leia também

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.